Nota

10 de julho de 2020.

A Associação Brasileira de Autores Roteiristas (ABRA) é uma Associação que se compromete com a defesa dos direitos e interesses de todos os roteiristas profissionais do audiovisual brasileiro e, portanto, é avessa a qualquer tipo de manifestação ou prática de cunho preconceituoso ou discriminatório. Acontecimentos de cunho racista como os presenciados na live da APTC-RS (Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos), no dia 03 de julho de 2020, infelizmente apenas exemplificam o grau de comprometimento do audiovisual pelo racismo estrutural vide levantamento realizado pela ANCINE publicado em 2018.

Entendendo que o repúdio não basta, dada urgência da continuidade dos debates e propostas para equidade racial no audiovisual brasileiro, foi criado no dia 10 de julho de 2020 o Grupo de Trabalho – Representatividade e Equidade Racial na ABRA. Encorajamos que todas as entidades que repudiam tais acontecimentos e se comprometem com a luta antirracista no audiovisual brasileiro façam o mesmo.

Como primeira medida, a partir de hoje, esse GT passa a fazer parte da estrutura da ABRA e se reunirá periodicamente, pautando ações formativas internas e externas em prol da diversidade da classe que representa.

Participaram desta primeira reunião e assinam este documento: Maíra Oliveira, Cleissa Regina Martins, Estevão Ribeiro, Gautier Lee, Carol Rodrigues, Adry Silva, Paulinho Sacramento, Renata Corrêa, Marcelo Lima, Alice Gomes, Vitor Drumond, Maria Clara Pessoa, Rafaela Camelo, Clara Meireles, Filipe Savioli, Ana Pacheco e Ana Durães.

 

DEIXE UMA RESPOSTA