Coroando uma luta de muitos anos que congrega milhares de criadores de  todo audiovisual, entre os quais diretores, autores, roteiristas e intérpretes de cinema, televisão e animação, as associações de gestão
coletiva do setor, a exemplo dos músicos, alcançaram um feito histórico.

Acaba de ser publicada no Diário Oficial da União a habilitação para o exercício dos direitos dos criadores pelas entidades que os representam,
a DBCA (Diretores de Cinema e do Audiovisual), a GEDAR (Gestão de Direitos de Autores Roteiristas) e a INTER ARTIS BRASIL (Associação de Gestão Coletiva de Artistas e Intérpretes do Audiovisual do Brasil).

Marco histórico

Trata-se de um marco histórico para o audiovisual brasileiro que, pela primeira vez pode ver direitos arrecadados e distribuídos de forma
coletiva como vem ocorrendo em dezenas de outros países pelo mundo. Este fato contribui para a economia do audiovisual brasileiro e, como
consequência, robustece a agenda econômica da cadeia produtiva da cultura e do entretenimento no país.

A habilitação de cada uma das associações de criadores, DBCA, GEDAR e INTER ARTIS BRASIL, além de simbolizar a união entre seus associados, é, acima de tudo, uma valorização do criador e o reconhecimento de valores
justos e equilibrados com a economia.

É também importante ressaltar que as associações agradecem aos seus associados, aos criadores, aos profissionais que, de várias formas, contribuíram para esta tão significativa e importante vitória.

COMPARTILHAR
Leo Garcia é sócio da Coelho Voador, uma das principais produtoras de roteiro do Brasil. Mestre em Roteiro de Ficção para TV e Cinema (UPSA – Salamanca, Espanha), escreveu roteiros para longas, curtas e séries, tendo vencido diversos editais e premiações. Já teve trabalhos exibidos na RBSTV, Globo Internacional, TV BRASIL, Canal Brasil, TVE, Prime Box Brazil e festivais mundo afora. Leo é o diretor-geral do FRAPA, o maior festival de Roteiro da América Latina.

DEIXE UMA RESPOSTA